O que são debêntures e o que analisar antes de investir? | Nexgen Capital
debentures

O que são debêntures e o que analisar antes de investir?

Existem alternativas de investimento presentes na renda fixa que, muitas vezes, passam despercebidas por investidores. É o caso das debêntures — você sabe o que elas são? Apesar de pouco conhecidas, elas podem trazer oportunidades interessantes no que se refere à rentabilidade.

Um dos principais diferenciais que as debêntures apresentam para outros títulos da classe está no fato de não serem emitidas pelo Governo ou por bancos. Esse processo fica sob responsabilidade de empresas privadas e, por isso, pode gerar ganhos mais elevados.

Quer saber mais? Continue a leitura para entender o que são debêntures e como analisá-las!

O que são debêntures?

As debêntures consistem, como você viu, em alternativas de investimento da classe de renda fixa. Por isso, apresentam ao investidor uma lógica de rentabilidade antes mesmo do aporte.

Logo, para entender suas características, é importante saber como funciona a dinâmica dos rendimentos na renda fixa. Os produtos dessa classe podem ser comparados a empréstimos. Assim, as companhias e instituições que fazem sua emissão têm o objetivo de torná-los um mecanismo de captação de recursos.

Ou seja, ao aplicar em um título, o investidor está disponibilizando capital para o emissor. De forma mais comum, ele pode ser o Governo Federal e os bancos — que contam, por exemplo, com os títulos públicos e os certificados de depósitos bancários (CDBs), respectivamente.

Além disso, as aplicações podem ser emitidas por outras instituições financeiras e também por empresas privadas — de capital aberto ou não. Assim, as debêntures são disponibilizadas por diversas companhias que desejam atrair recursos.

Como as debêntures funcionam?

Agora que você conheceu as debêntures, é necessário compreender seu funcionamento. Em primeiro lugar, é importante entender a dinâmica de emissão desses títulos.

Na prática, a empresa interessada na captação de recursos faz a emissão do título e apresenta uma regra para o investidor a remuneração oferecida e o prazo de vencimento. Dessa maneira, o investidor conta com uma previsibilidade sobre quanto e quando poderá resgatar o investimento.

Ainda, por não oferecem garantias como diversos outros títulos de renda fixa, é possível encontrar debêntures com rentabilidades mais atrativas. Entenda a seguir um pouco mais sobre as principais características das debêntures:

Rentabilidade

Os ganhos com debêntures podem acontecer de três formas: prefixada, pós-fixada e híbrida. Na dinâmica prefixada, a taxa de juros é apresentada no momento do aporte. Desse modo, a empresa estabelece uma porcentagem de remuneração, que permanecerá fixa até o vencimento.

Já com a rentabilidade pós-fixada, o investidor conhecerá seus lucros apenas no resgate ou no vencimento do título. Isso acontece porque ela está atrelada a um índice que se movimenta, como a taxa Selic ou ao Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

Por último, a remuneração pode ser híbrida. Nesse caso, existe a combinação das características das duas outras modalidades — isto é, há uma taxa pré e outra pós-fixada. De maneira mais comum, a porcentagem variável segue o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação.

Tributação

Assim como acontece em outros títulos de renda fixa, as debêntures contam com incidência do Imposto de Renda (IR) sobre os lucros. As alíquotas seguem a tabela regressiva de acordo com o tempo da aplicação:

  • até 180 dias: 22,5%;
  • de 181 a 360 dias: 20%;
  • de 361 a 720 dias: 17,5%;
  • a partir de 721 dias: 15%.

Entretanto, existe um tipo de debênture com isenção do IR. Você o conhecerá a seguir.

Quais são os tipos de debêntures?

Entendeu quais são as principais características sobre o funcionamento das debêntures? Para avaliá-las, no entanto, além da lógica de rentabilidade, é preciso saber que esses títulos também se dividem de acordo com seus tipos.

Confira os principais!

Conversível

Uma debênture conversível consiste em um título que pode ser transformado em uma ação no futuro. Assim, ao invés de remunerar financeiramente, a empresa concede parcelas de seu capital social para quem aplicou.

Para o investidor, em caso de conversão, a prática resultaria em uma transição do aporte original da renda fixa para a renda variável.

Simples

As debêntures simples, por sua vez, não possibilitam essa conversão. Desse modo, quando o título atingir seu vencimento, o investidor será remunerado em dinheiro, de acordo com a regra que a empresa apresentou antes do aporte. Elas também são conhecidas como “debêntures não conversíveis”.

Permutável

As debêntures permutáveis, assim como as conversíveis, também permitem transformar o título em ações. No entanto, o diferencial é que elas não precisam ser do mesmo emissor. Ou seja, o investidor adquiriu debêntures de uma companhia e pode convertê-las em papéis de outra empresa.

Incentivada

Por fim, as debêntures incentivadas, como o nome sugere, apresentam um estímulo adicional para o investimento. Para elas, o diferencial está na isenção do Imposto de Renda sobre os lucros. No entanto, vale destacar que todas elas são do tipo simples — o que impede a conversão em ações.

O que analisar antes de investir nesses títulos?

Como você viu, as debêntures apresentam características interessantes em seu funcionamento. Além disso, podem oferecer rentabilidades maiores que outros títulos da renda fixa.

Contudo, antes de investir, é preciso levar determinados aspectos em consideração. São eles:

Perfil e objetivos

Como em qualquer tipo de investimento, é indispensável que as debêntures estejam em concordância com seu perfil de investidor. Além disso, não deixe de compreender se as perspectivas das debêntures — e os prazos de vencimento — estão alinhados com seus objetivos.

Características da empresa

Você entendeu que as debêntures são emitidas por empresas, certo? Por isso, é importante que exista uma avaliação da realidade da companhia. Entre os pontos que devem ser analisados está a situação financeira do negócio e os objetivos da companhia com a emissão dos títulos.

Lembre-se de que as debêntures não contam com proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Assim, caso a empresa entre em processo de falência, seu capital pode não estar coberto caso a debênture não ofereça garantias.

Desse modo, avaliar a realidade da organização é essencial para elevar a segurança do investimento.

Tipo de debêntures e garantia

Além desses pontos, você deve analisar todos os aspectos relativos à lógica de funcionamento da debênture. É preciso entender qual o tipo de título no qual você investirá, eventuais garantias oferecidas e como será a remuneração.

Nesse contexto, vale destacar que é comum que as debêntures não apresentem alta liquidez. Portanto, pode ser preciso aguardar até o vencimento do título para reaver o capital alocado. Assim, essa questão também deve ser ponderada.

Como investir em debêntures?

Você acredita que as debêntures podem ser uma aquisição positiva para sua carteira? O primeiro passo para investir é ter conta em uma corretora de valores. Depois, basta checar o portfólio da instituição, encontrar o título desejado e realizar o aporte.

Como vimos, entender o que são debêntures e como elas funcionam é essencial para que você avalie o potencial desse investimento. Afinal, mesmo fazendo parte da renda fixa, elas apresentam características que as diferenciam de outras alternativas dessa classe — e vale a pena conhecê-las melhor.

Buscar