Quero investir na bolsa: qual é o melhor momento para começar? | Nexgen Capital
hora de investir (1)

Quero investir na bolsa: qual é o melhor momento para começar?

Ao estudar o mercado financeiro, muitas pessoas chegam à mesma conclusão e decidem: quero investir na bolsa! Entretanto, durante esse processo de decisão, também podem surgir dúvidas sobre qual é o melhor momento para começar a fazer seus aportes.

Para saber qual a ocasião mais adequada para dar os primeiros passos, é preciso ter conhecimento sobre fatores importantes. Nesse sentido, vale entender como realmente funciona a bolsa, as alternativas que ela oferece e os riscos envolvidos. Depois, você poderá aprender a avaliar o melhor momento para o investimento.

Quer saber mais? Continue a leitura deste artigo para entender todas essas questões e descobrir quando vale a pena começar a investir na bolsa de valores!

Confira!

Como funciona a bolsa de valores?

A bolsa de valores funciona como um ambiente no qual são negociados determinados ativos, derivativos e veículos de renda variável. A maioria das negociações é feita entre investidores e especuladores, no mercado secundário.

Em um primeiro momento, durante a oferta inicial, os próprios emissores participam da negociação. Uma dessas situações se dá no IPO (oferta pública inicial), quando uma empresa lança suas ações para negociação pela primeira vez no mercado, por exemplo.

É importante saber que a renda variável está exposta a maiores riscos que a renda fixa. Isso porque os preços na bolsa variam de acordo com movimentos do mercado, oferta e demanda, expectativas e cenários financeiros.

As principais alternativas de investimentos na bolsa são as ações, as cotas de fundos imobiliários (FIIs), fundos de índice (ETFs) e os brazilian depositary receipts (BDRs). Todas essas alternativas estão disponíveis no chamado mercado à vista.

Já para outras operações de proteção ou especulação existem os derivativos do mercado futuro, o mercado de opções e o mercado a termo.

Com tantas informações e alternativas, é comum não saber o melhor momento para começar a investir. Além disso, as crises constantes pelas quais o Brasil está exposto e o volume de notícias podem afastar o investidor iniciante e causar receio.

O que avaliar para começar a investir na bolsa?

Se você já decidiu “quero investir na bolsa”, é preciso saber que não há um melhor momento para começar. Como você viu, as oscilações são constantes. Por isso, prevê-las e esperar um momento em que o ambiente esteja estável — e favorável no curto prazo — não é uma tarefa fácil.

Inclusive, vale a pena saber que, quanto antes você começar, melhor podem ser os resultados obtidos com seus investimentos na bolsa. Afinal, haverá mais tempo para ganhar experiência e para o potencial de rentabilidade se acumular.

Além disso, os riscos relacionados à renda variável costumam se diluir no tempo. Assim, manter uma rotina de aportes e ter uma estratégia de longo prazo é útil.

Sabendo disso, existem pontos importantes que você deve avaliar para começar a investir na bolsa. Veja os principais:

Perfil de investidor e objetivos

O perfil de investidor é definido de acordo com a sua tolerância aos riscos atrelados aos investimentos. Ele é dividido em conservador, moderado e arrojado, em ordem crescente de abertura a ativos mais arriscados.

Nesse cenário, cada pessoa terá um nível de tolerância, e deverá definir uma alocação que faça sentido a essa característica.

Como você viu, diferentemente da renda fixa, os investimentos na bolsa de valores envolvem maiores riscos. Isso acontece, principalmente, pela volatilidade dos preços e pela impossibilidade de prever a rentabilidade.

Desse modo, investidores mais conservadores podem não querer se expor a esse mercado, preferindo alocar seus recursos em aplicações mais seguras. No entanto, até mesmo para quem tem menor tolerância à volatilidade existem alternativas.

É possível, por exemplo, separar uma parte pequena do capital para fazer investimentos na bolsa. Mesmo que os aportes não sejam substanciais, você pode compor sua carteira com ativos de renda variável — desde que tenha certeza dessa decisão.

Além do perfil, é fundamental traçar objetivos financeiros que você deseja alcançar por meio dos investimentos. Desse modo, será possível montar uma estratégia mais realista e que cumpra suas expectativas para o patrimônio.

Alternativas mais adequadas

Você já viu as principais alternativas de investimento na bolsa de valores. Contudo, é preciso saber que, como elas possuem características, riscos e funcionamentos diferentes, nem todas as possibilidades são adequadas para qualquer investidor.

Portanto, é fundamental estudar mais os investimentos para buscar aqueles que fazem sentido para você e se adequam à sua carteira. Nesse momento, os principais pontos a serem analisados são, como você viu, o seu perfil e os seus objetivos.

Com essas informações e com o conhecimento que adquirir sobre cada investimento, será possível fazer uma adequação da carteira. Um portfólio adequado é justamente aquele que servirá para que você atinja seus sonhos e se exponha a riscos que fazem sentido ao seu perfil.

É por isso que não há uma fórmula pronta para montar uma carteira de investimentos da bolsa. Como cada investidor tem preferências e necessidades diferentes, a escolha é pessoal e baseada nessas características.

Estratégia de investimentos

Conhecendo seu perfil, objetivos e as alternativas disponíveis na bolsa, é preciso montar uma estratégia de investimentos. É ela que guiará suas escolhas e será a balizadora para alocar seu capital.

Nesse sentido, a estratégia deve definir qual é a proporção de alocação em cada alternativa, o prazo dos investimentos e a rentabilidade esperada. Desse modo, ela deve ser pensada com cautela.

Por exemplo, uma estratégia com maiores chances de sucesso prevê a diversificação dos investimentos. Diversificar riscos, liquidez e oportunidades de rentabilidade pode ajudar a equilibrar o chamado tripé dos investimentos e ajudá-lo a compor um portfólio sólido de investimentos.

Além disso, quando o assunto é bolsa de valores, existem inúmeras estratégias que podem ser colocadas em prática. Por exemplo, há investidores que alocam capital buscando receber dividendos ao longo do tempo. Outros, focam na valorização do ativo no longo prazo. Avalie a estratégia mais adequada para você e siga-a.

Por fim, uma prática importante da estratégia de investimentos são os aportes recorrentes. Ou seja, é preciso que o investidor separe um capital para alocação constante, buscando acumular patrimônio.

Suporte profissional

Inúmeras dificuldades e dúvidas podem surgir no caminho de quem deseja começar a investir na bolsa. Por exemplo, instabilidades e crises políticas podem trazer períodos de grande oscilação nos ativos — e pode assustar o investidor desse mercado.

Por isso, contar com suporte de uma assessoria de investimentos tende a oferecer a você maior segurança para a tomada de decisão.  Afinal, é possível começar a investir na bolsa a qualquer momento, desde que tenha segurança na sua estratégia. E ter o apoio de profissionais qualificados nessa jornada pode fazer toda a diferença.

Você descobriu, neste conteúdo, que o investimento em bolsa de valores está ao alcance de todo investidor — a qualquer momento. Por isso, da próxima vez em que você pensar “quero investir na bolsa”, avalie o seu perfil de investidor, objetivos pessoais e a dinâmica do mercado. Assim, será possível descobrir o melhor momento para fazer seus primeiros aportes.

Precisa de apoio para entender melhor as alternativas disponíveis na bolsa? Então conte com a assessoria de investimentos da Nexgen Capital!

Buscar