Dividendos e JCP: qual a diferença entre esses proventos? | Nexgen Capital
Dividendos e JCP - qual a diferença entre esses proventos blog

Dividendos e JCP: qual a diferença entre esses proventos?

O lucro com ações e fundos imobiliários não precisa ocorrer exclusivamente com a valorização do preço dos ativos ao longo do tempo. Na verdade, a renda variável oferece a possibilidade de lucrar também com proventos — como dividendos e JCP (juros sobre capital próprio).

Eles estão relacionados com o lucro das empresas ou fundos e são uma forma de atrair e remunerar investidores e cotistas. Portanto, quem quer investir na bolsa de valores com visão de longo prazo precisa conhecer esses proventos.

Neste artigo, você conhecerá as diferenças entre dividendos e JCP e saberá como montar uma carteira focada nesses proventos. Vamos lá?

O que são dividendos?

Dividendos são os proventos mais conhecidos pelos investidores. Na prática, eles representam uma parte do lucro líquido obtido pelas empresas listadas na bolsa de valores. Além disso, as gestoras dos fundos de investimento imobiliário (FIIs) costumam distribuir dividendos para os cotistas.

Vale destacar que o pagamento de dividendos é obrigatório para todas as empresas que negociam ações na bolsa. No entanto, a lei não define o percentual mínimo que as companhias devem pagar. Essa informação deve constar no estatuto social do negócio, assim como a frequência de distribuição.

Dessa forma, as empresas podem pagar dividendos mensais, semestrais ou anuais, por exemplo. Ademais, o pagamento deve ser aprovado pelo conselho de administração da companhia e protocolado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Já os FIIs devem distribuir, no mínimo, 95% do lucro na forma de dividendos semestrais. Contudo, é possível que o fundo estabeleça distribuições em períodos mais curtos, como mensalmente. Vale destacar que os dividendos são, em regra, isentos de Imposto de Renda.

O que são JCP?

Já os juros sobre capital próprio (JCP) são proventos distribuídos apenas por empresas listadas em bolsa. Ou seja, eles não são aplicáveis aos fundos imobiliários.

Esses proventos também são uma forma utilizada pelas empresas para remunerar seus investidores. Embora seja um conceito semelhante aos dividendos, a principal diferença é que o JCP não se refere ao lucro líquido da companhia, mas ao montante obtido pelo negócio antes de descontar taxas e impostos.

Nesse caso, o JCP é considerado como uma despesa para a companhia, de forma que ela possa pagar menos impostos. Por esse motivo, a obrigação de recolher tributos sobre os ganhos é do investidor.

Tanto os dividendos quanto os JCP são pagos em dinheiro. Assim, o montante é enviado para a conta na corretora de valores que o investidor utiliza para fazer as operações na bolsa de valores.

Qual a diferença prática entre dividendos e JCP?

Como você viu, a principal diferença entre dividendos e JCP está na tributação. Como os dividendos são calculados sobre o lucro líquido da empresa, a quantia não é tributada duas vezes. Por esse motivo, são uma fonte de renda isenta de Imposto de Renda para quem investe.

No caso dos juros sobre capital próprio, os investidores são responsáveis por pagar o tributo sobre o valor recebido. Nessa situação, a alíquota é de 15% e a taxa é recolhida na fonte.

Outra diferença está no fato de que pagar dividendos é uma obrigação, enquanto os JCP são facultativos. Em geral, o pagamento desse tipo de provento é uma forma de remunerar e atrair novos interessados para o negócio.

Ainda, uma empresa não pode distribuir parte do seu lucro apenas por meio dos juros sobre capital próprio. É necessário que uma porcentagem seja destinada aos dividendos.

É possível investir pensando exclusivamente em proventos?

Conhecendo esses proventos, se torna mais fácil assimilar por que investidores que visam viver de renda no longo prazo costumam investir com esse foco. Para isso, é preciso buscar empresas que sejam consideradas boas pagadoras de dividendos, por exemplo.

Além disso, é importante que o negócio tenha boa saúde financeira, para apresentar resultados consistentes ao longo do tempo. Afinal, o objetivo não é apenas vender os papéis após a valorização, mas mantê-los na carteira para receber os proventos.

Também vale ressaltar que o pagamento de proventos ocorre de forma proporcional ao número de ativos que o investidor tem na carteira. Assim, é comum que no início a estratégia foque no reinvestimento dos dividendos e dos JCP para construir capital.

E quem investe com esse foco também pode incluir cotas de fundos imobiliários na carteira. Como foi possível aprender, os FIIs também costumam distribuir dividendos.

Como montar uma carteira focada em dividendos e JCP?

Ficou interessado em investir em foco em dividendos e JCP? Então entenda como montar uma carteira de investimentos baseada nesses proventos:

Conheça seu perfil e objetivos

O investimento em renda variável envolve riscos maiores do que em renda fixa. Portanto, é fundamental que o seu perfil de investidor esteja alinhado a essa característica. Você deve estar preparado para as oscilações do mercado ao longo do tempo.

Ademais, é importante conhecer seus objetivos financeiros. Isso porque o investimento com foco em proventos tende a ser mais adequado para o longo prazo e pode ser alinhado a quem busca ter uma renda passiva no futuro.

Analise os fundamentos do negócio

Ao investir, tenha em mente que empresas e fundos mais sólidos costumam resultar em menores riscos. Então é interessante que a sua estratégia envolva a busca por companhias consolidadas no mercado e que possam compartilhar uma maior parte dos lucros com os investidores.

Também é válido analisar o histórico de pagamento de proventos e a constância na distribuição, inclusive nos FIIs. Contudo, lembre-se de que resultados passados não são garantia de rendimentos futuros, mas podem fornecer informações importantes para embasar a decisão.

Conte o auxílio de uma assessoria de investimentos

No momento de investir, você pode contar com ajuda qualificada para tirar dúvidas e encontrar as alternativas mais alinhadas com o seu perfil e objetivos. Nesse caso, vale ter o suporte de um assessor de investimentos.

O profissional conhece as alternativas disponíveis no mercado financeiro e pode esclarecer suas dúvidas a respeito dos investimentos. Assim, você pode obter o máximo de informações sobre os ativos antes de fazer os aportes.

Aqui, o objetivo é deixar a tomada de decisão mais acertada para evitar frustração no futuro. Dessa forma, fica mais fácil montar uma carteira diversificada para aumentar suas chances de ter sucesso com os investimentos.

Agora você conhece as diferenças entre dividendos e JCP e pode traçar estratégias que incluam o recebimento de proventos na sua carteira. Para isso, verifique seu perfil e objetivos, analise as alternativas de investimento e não se esqueça da diversificação da carteira para equilibrar os riscos.

Precisa de auxílio para investir? Entre em contato conosco e converse com um de nossos assessores!

Buscar